Luanda

Luanda é a capital de Angola, coração financeiro e administrativo do país, mas é também uma província repleta de beleza natural, cultura e excelentes espaços de diversão.

História

Reza a tradição oral que o território hoje conhecido como a província de Luanda começou a sua formaçõa política no século XIII, altura em que ainda era considerada terra dos povos Mbundu (ou Ambundu). Essa formação foi ministrada pelo Reino do Ndongo.

A 25 de Janeiro de 1576, Paulo Dias de Novais, representando o Reino de Portugal, funda São Paulo de Loanda, como posto comercial avançado. A partir daí, vários conflitos entre as forças coloniais e o Reino do Ndondo acontecem, enquanto a região continua a ganhar relevância estratégica como capital, para o Reino de Portugal.

Em 1810, passara a ser chamada de distrito de São Paulo, mas já alguns referíam-se à mesma como “distrito de Luanda”, sendo somente a 14 de Maio de 1934 que ganha, finalmente, o estatuto de província, com a emissão do decreto nº. 23 848. 

Geografia e dados demográficos

  • Área Total – 18 826 km²
  • População – 7 976 907 (2018)
  • Temperatura Média – 25ºC
  • Clima – Tropical Húmido
  • Língua oficial – Português
  • Língua tradicional – Kimbundu

Actualmente, a província de Luanda está dividida em 9 municípios: Luanda, icolo e Bengo, Kissama, Cazenga, Viana, Bela, Kilamba Kiaxi e Talatona. Juntos, eles têm 19 comunas e 37 distritos urbanos.

A cidade de Luanda é a capital angolana e goza de um clima tropical com duas estações – época quente, de Setembro a Maio e época fria (chamado de Tempo do Cacimbo), entre Junho e Agosto.

A cidade é hoje heterogénea, albergando populações que fugiram para a capital durante a guerra e um número crescente de estrangeiros que se deslocam a trabalho ou turismo.

Existem algumas figuras típicas em Luanda, como:

  • Bessangana (porte altivo e traje de panos tradicionais)
  • Quitandeira (zungueira)
  • Pescador da Ilha
  • Candongueiro (motorista de táxi)
  • Roboteiro (transporta mercadorias em carros de uma só roda)

Na província, podemos distinguir zonas como a Ilha do Cabo (Ilha de Luanda), Alvalade, Benfica e muitos outros que pode encontrar na nossa página sobre os bairros e distritos da província.

Como chegar

Avião

Para voos internacionais, há 8 companhias aéreas que pode usar: TAP Air Portugal, TAAG Linhas Aéreas de Angola, Lufthansa, KLM, Emirates, Air France, Brussels Airlines e Royal Air Maroc. Ao chegar, vai desembarcar no Aeroporto nternacional 4 de Fevereiro, que se encontra no centro da cidade, por isso estára perto de muitos serviços e opções de transporte.

Mas se já se encontrar em território angolano, a TAAG Linhas Aéreas de Angola  e a Fly Angola têm voos regulares, podendo levar-lhe para 13 das 18 províncias do país. Desembarcará no aeroporto doméstico, também muito perto do centro da cidade.

Autocarro

Se avião não for o seu meio de transporte favorito, ou simplesmente preferir fazer viagens mais longas, a Macon Transportes é a nossa empresa de serviços de autocarros interprovinciais mais conceituada e que, para além de poder trazer-lhe para Luanda, em viagens domésticas, tem também a rota Luanda-Windhoek.

Onde ficar

Sendo a capital do país, Luanda oferece diversos tipos de acomodação, desde hotéis, resorts, aldeamentos turísticos e até aparthotéis, como pode consultar aqui, no nosso website. Tem a opção de fazer a sua reserva com o Hotéis Angola ou, se preferir uma estadia mais aculturada e recheada de experiências locais, convidamos-lhe a visitar a versão nacional do Air Bnb, Boa Estadia.

Transporte

Para se locomover na cidade não terá problemas, pois as opções ajustam-se a todos os bolsos:

Serviços de rent-a-car – Hertz, Eurocar e AVIS Rent a car

Táxi privado: Allo Táxi e Eurotaxi

Serviço de táxi semelhante ao Ubber: Kubinga, T’Leva e Heetch

Transporte público: se sentir-se seguro e um pouco aventureiro para explorar esta opção, tem as vans azuis e brancas que circulam pela cidade, bem como os autocarros da TCUL. Porém, para usá-los tem de saber para onde vai ou pedir ao auxiliar do motorista (cobrador) que lhe indique, pois as paragens não estão sinalizadas.

Pratos típicos e onde comer

Em Luanda, os pratos típicos de quase todos os sábados do ano são funge (com vários molhos) e o mufete. Se busca os sabores da terra, caso venha de muito longe, bons restaurantes para degustá-los são:

  • Tia Guida 2
  • Funge House
  • Tambarino
  • Restaurante Rua 11
  • Barracas da Chicala (que não é só um restaurante, claro)

Para mais dicas de onde comer pratos tradicionais, leia também este artigo 

No entanto, se o seu paladar procura ainda mais variedade, convidamos-lhe a visitar a nossa secção de restaurantes aqui, para ter mais sugestões e dicas de que tipos de restaurantes pode encontrar.

O que fazer

O encanto das suas belezas naturais numa atmosfera única, oferece um clima propício a actividades ao ar livre. No Parque Nacional de Kissama pode encontrar elefantes, zebras, búfalos e antílopes. Um paraíso para os ecoturista. Dispõe também de actividades de pesca desportiva em mar alto. A costa sul, oferece diversas actividades como expedições de pesca ao tubarão, mergulho, observação de golfinhos e baleias, caminhadas e passeios de moto-quatro.

No Mussulo, a verdadeira ilha da capital, geograficamente falando, pode usufruir de todos os desportos náuticos. Para os praticantes de surf, Luanda oferece diversas praias com muito boas ondas, como Cabo Ledo, que fica a apenas 80km de distância de Luanda e que atrai surfistas de todo o mundo. Neste local, pode também fazer observação de aves. Igualmente perto da capital fica a Reserva Natural Integral do Ilhéu dos Pássaros, local habitual de repouso de aves migratórias.

Não deve deixar de visitar o Miradouro da Lua (a cerca de 40 quilómetros a sul de Luanda), que permite uma vista deslumbrante para as falésias.

Na cidade, conheça o Palácio de Ferro, situado na Baixa de Luanda, o Museu Nacional da Escravatura e a Fortaleza de São Miguel.

A melhor oferta de bares e restaurantes está localizada na Ilha de Luanda, que está ligada à Marginal, um dos postais da cidade.

Os mercados são ideais para sentir o espírito de Angola e para encontrar peças de artesanato típicas de várias etnias, mas existem também lojas de luxo e feiras artesanais periódicas onde se encontram bons presentes e recordações. Nas zonas como Panguila, Congoleses, São Paulo, Asa Branca e Kikolo, vende-se um pouco de tudo. O Mercado do Futungo, que funciona aos domingos é um dos melhores locais para encontrar artesanato e as feiras artenais, que decorrem nos shoppings (Belas, Avennida e Fortaleza) e em espaços culturais como o CCBA (Centro Cultural Brasil-Angola) são bns lugares para comprar as roupas típicas angolanas.

Esculturas como O Pensador e as máscaras Mwana-Pwo são os mais procurados pelos turistas.

A capital angolana oferece uma grande variedade de boutiques e centros comerciais, locais que podem ser úteis a quem tem pouco tempo disponível.

Os apreciadores de música africana podem aproveitar a viagem a Luanda para ouvirem música ao vivo em alguns restaurantes ou mesmo espaços culturais como a Casa Rede.

À noite, jantar ao pôr-do-sol tendo como paisagem a Baía de Luanda é a melhor forma de entrar no ambiente festivo da noite da capital angolana, com bares de música ao vivo e discotecas de ritmos africanos. Os ritmos como a kizomba, semba, afrohouse e kuduro marcam a noite. Aqui a animação acontece sobretudo nas noites de sexta-feira e sábado.

Para informação actualizada sobre o que fazer em Luanda, consulte as páginas de eventos Menu Cultural e Eventos Culturais Arte Angola.

O que trazer na mala

  • Roupa de verão
  • Chinelos
  • Protector solar
  • Dinheiro vivo (ainda vivemos muito da economia informal)
  • Cartão de vacinas (caso venha de fora do país)
  • Muita paciência para enfrentar o trânsito da cidade
  • Boa disposição!

Dicas para gerir as suas expectativas

Luanda é uma cidade intensa na dinâmica do seu povo, na forma como a economia acontece e na forma como se sente o calor do sol, bem como o calor humano. Dito isso, da mesma maneira que terá a oportunidade de ter experiências singularmente positivas, existe a probabilidade real de algumas coisas não correrem tão bem. Para reduzir essa probabilidade, seguem abaixo as nossas dicas:

  • Se chegar por algum dos aeroportos, dê preferência aos serviços de táxi recomendados neste artigo, pois infelizmente já tivemos más experiências com os taxistas que ficam à porta dos aeroportos, principalmente se você for uma pessoa caucasiana
  • Não espere que tudo funcione perfeitamente na sua acomodação – a percepção de “bom serviço” é muito relativa
  • Se andar a pé, não se distraia com o telefone na mão e evite fazê-lo à noite, em ruas sem iluminação
  • Infelizmente a pobreza ainda assola muitas pessoas que vivem em Luanda, por isso não se impressione com o número de mendigos e crianças desabrigadas que vai encontrar nas ruas a pedir esmola
  • Pontualidade não é o forte do angolano em geral, por isso, quando lhe disserem 15min, significa pelo menos meia hora (às vezes mais)
  • Se alugar um carro, em cada lugar que estacionar, se não for um parque de estacionamento privado, pode ter certeza de que os “donos” do lugar vão aparecer para lhe pedir algum dinheiro por ter estacionado ou só parado o seu carro. Normalmente, AKZ 100 a AKZ 200 é suficiente.

O que levar para casa

Como bom/boa turista, não pode ir para casa sem levar uma recordação da sua visita à Luanda. As nossas três dicas de ouro são:

  • Os kitutes da terra (bombó frito e assado, banana-pão assada e jinguba)
  • Uma peça de arte: as nossas esculturas, como o pensador ou mesmo um quadro que represente os nossos musseques (bairros suburbanos)
  • Uma peça de roupa em Samakaka (o pano africano com as cores da nossa bandeira)

E assim poderá usufruir de uma visita completa à cidade dos Axiluanda. Diga-nos, por favor, se este artigo foi útil para si nos comentários abaixo.

Bom proveito!

Lugares em Luanda

Descobrir  

Directório

Descobrir  
pt_PTPortuguês