Namibe

Namibe deriva da palavra "namib", uma expressão proveniente da liga nama que tem o significado de "lugar vasto e distante". Apesar da paisagem maioritariamente desértica, guarda segredos de rara beleza paisagística e natural, como a exótica planta Welwitschia Mirabilis.

Dados Geo-Demográficos do Namibe

  • Área total – 57.091 Km2
  • População – 471.613
  • Temperatura – 21ºC
  • Clima – Temperado (no litoral) e Tropical Seco (no deserto)
  • 5 Municípios

Conheça o Namibe

A província do Namibe (antiga Moçamedes) situa-se no litoral sul de Angola, sendo limitada a norte pela província de Benguela, a leste pela província da Huíla, a oeste pelo oceano Atlântico, a sul pelo rio Cunene e pela República da Namíbia.

Tem uma área aproximada de 57.091 km2 e uma fronteira marítima atlântica de cerca de 480 km.

Os cinco municípios são:

  • Namibe
  • Bibala
  • Virei
  • Camucuio
  • Tômbua

A sua capital é a cidade de Namibe, a qual fica a 1.234 km de Luanda e a 225km de Lubango. A cidade foi fundada em 1840 e, até 1985, teve o nome de «Moçâmedes».
Namibe-Angola

 

Cidade do Namibe

Tem o terceiro maior porto de Angola, depois de Luanda e Lobito. É também o terminal do caminho-de-ferro do Namibe.

O símbolo desta província é a planta Welwistchia Mirabilis.

Clima

É influenciado pela Corrente Fria de Benguela com uma temperatura oscilando entre 17ºC e 25ºC, com uma média de 21ºC.

O clima é de uma maneira geral temperado, embora com algumas nuances: temperado húmido ao longo do litoral, tropical de altitude, apresenta vastas regiões desérticas e semidesérticas em grande parte do território. Tem duas estações: a das chuvas, que vai de Outubro a Abril, e a estação seca (cacimbo) nos restantes meses do ano.

No Deserto do Namibe, uma das mais importantes fontes de humidade consiste em neblinas e nevoeiros que provêm do mar e que, durante a noite, penetram dezenas de quilómetros terra adentro: as águas da Corrente Fria de Benguela interagem com o ar quente e originam o nevoeiro – um nevoeiro que representa vida porque contribui para a sobrevivência das inúmeras pequenas criaturas das dunas.

Acessos

Aeroporto de Namibe para aviões de grande porte. Existem ainda pequenos aeródromos, sendo de destacar os da Lucira, Tômbwa, Bibala e Bentiaba em terra batida e uma pavimentada na Baía dos Tigres, capazes de receber pequenas aeronaves.
As estradas de Huíla, e pelo norte, de Benguela, estão em boas condições para viajar até ao Namibe.

População

A língua nacional mais falada é o português. Os grupos étnicos em maioria são os Nhaneca-Humbi e Herero.
Os bosquimanes (Khoisan) estão presentes em pequenas comunidades nesta região de Angola.

Economia

Minérios: ouro, cobre, manganês, cromo, estanho, lenhite e muito mármore.

Agricultura: mandioca, bata doce, batata do Reno, citrinos, oliveira, videira, goiabeira, massango.

Pecuária: ovinos, caraculo, caprinos

A pesca é outro meio de sustento para o povo do Namibe.

O maior centro piscatória da província é cidade do Tômbua, a qual fica a 93 km da cidade do Namibe. A zona piscatória do Namibe, é a mais importante do país, representando mais de 65% de toda actividade pesqueira. Com cerca de 480 km lineares de orla marítima, é rica em recursos piscatórios muito diversificados, exibindo um potencial natural de crustáceos em que se destacam o caranguejo, mexilhão e amêijoa.

Há ainda a extracção de sal e de pedras ornamentais.

O aeroporto e o Porto Comercial, são as duas forças que associam-se ao transporte rodoviário para a importação e exportação dos produtos.

Natureza

A vegetação predominante nesta região é o Deserto, aqui já em estepe povoada de pequenos arbustos. Destaca-se a formosa planta exótica Welwitschia Mirabilis.

Namibe-Angola

Welwitschia Mirabilis

 

O deserto do Namibe ocupa uma área de 310.000 km2 e é dos desertos mais antigos e estéreis do mundo. A sua área ocupa uma extensão que corre ao longo da costa atlântica, desde o Rio Olifants, na Província do Cabo, África do Sul, até São Nicolau, hoje Bentiaba, no Sul de Angola.

Ocupa uma plataforma rochosa entre o Oceano Atlântico e as escarpas do platô interior. Montanhas isoladas erguem-se do deserto e as enormes dunas de areia podem atingir 400 m de altura.

Os principais rios são o Cunene, o Curoca, Bero Bentiaga e o Carujamba.

Para além do rio Cunene que passa e tem foz a sul da província, Namibe, apesar do deserto, tem outros rios como o Sarujamba na região do Iona, a 200 km da sede provincial.

A Baía dos Tigres, na província do Namibe, é a maior ilha de Angola, com uma área de 98 km².

É nesta região, uma das mais ricas em pescado da costa angolana, que existe a pequena mas bem estabelecida vila Tigres.

Outrora uma península, em 1962 rompeu-se a ligação da restinga ao continente, originando a ilha.

 

Namibe-Angola

 

Baia dos Tigres, Namibe

O Namibe oferece aos seus visitantes esplêndidas praias e interessantes zonas para a prática  de desporto, nomeadamente a pesca submarina. As praias mais conhecidas são as das Miragens, Praia Azul, Praia Amélia, Praia das Barreiras e Praia dos Flamingos.

Na região norte aparecem elefantes, olongo, impala, zebras, onças e leões. Na região central é propícia a criação de carneiro caraculo, chacais, raposas, etc. No sul abundam as cabras de leque, os guelengues, as zebras, as avestruzes, aparecem também rinocerontes, elefantes, onças e leões.

Como animais raros, aparecem a suricata, mamífero de 30 a 40 cm de altura que vive em buracos e adapta a posição erecta apoiada nas patas traseiras e na cauda.

No Deserto do Namibe há várias reservas. Em Angola, está o Parque Nacional do Iona e a Reserva Parcial de Namibe.

No Iona, podemos apreciar as pinturas rupestres do Monte Negro, junto às quedas do mesmo nome, no Rio Cunene, bem como as do Tchitundo-Hulo, próximo a Virei. Na foz do mesmo rio, as enormes dunas móveis são uma atracção.

No extremo sul, a norte da foz do Rio Cunene, a manga de areias da Baía dos Tigres, com cerca de 35 km de comprimento, é uma das maiores do mundo. De igual modo o é a vastíssima baía que ela separa do oceano encapelado. Ciclicamente, a manga separa-se do continente e transforma-se numa ilha.

A Visitar

  • Águas Termais do Centro Turístico da Mutípa, Pediva, Ndolondolo
  • Quedas de Água do Monte Negro
  • Foz do Rio Cunene, com excelentes condições para a prática de pesca desportiva, desportos náuticos e caça submarina
  • Parque Nacional do Iona, com uma área de 15.150 Km2 foi constituído em 1937. As principais espécies animais são a zebra da montanha e o guelengue
  • Monumentos Religiosos – Igreja da Nª Srª de Fátima, Igreja de Santo Adrião, a Capela da Praia Amélia, a Capela da Quiploa eIgreja da Nª Srª do Mundo na Bibala
  • Fortaleza de São Fernando, actual unidade Militar da Marinha, fica situada no município do Namibe.
  • Fortaleza de São Fernando
  • Fortaleza do Kapangombe, situada no município da Bibala, servia para a concentração de escravos antes de embarcarem para asAméricas e é o actual quartel do exército.
  • Exemplares da Arquitectura Colonial, como a Estação do Caminho-de-ferro de Moçâmedes, o Tribunal da Comarca de Namibe, o Edifício dos Correios e telégrafos e o Palácio do Governo, localizado na marginal do Namibe.

Festas

As Festas da Cidade acontecem a 4 de Agosto e as Festas do Mar realizam-se durante todo o mês de Março e são muito
concorridas com concertos musicais e provas desportivas, com destaque para o automobilismo.

Gastronomia

Baseada na maior riqueza da província: o peixe.

 

Directório

Descobrir