Huambo

Conheça a cidade do Huambo, uma província com muitas historias, lugares incríveis e uma população calorosa e receptiva, terra dos Sulanos.

Historia

A província do Huambo foi fundada em 1910, primeiramente era conhecida como “Distrito do Huambo” até em 1928. Após este período passou a se chamar “Nova Lisboa”. Somente após a independência de 1975 é que a província passou a chamar de “Huambo” até os dias actuais.

A cidade do Huambo foi fundada por Norton de Matos, e posteriormente foi mudado o nome para “Nova Lisboa” por Vicente Ferreira.

A palavra Huambo deriva de Wambo Kalunga, que foi nome do fundador do Reino do Huambo. Quanto ao grupos étnicos a província do Huambo é dividida por 3 grupos étnicos que se seguem; Ovimbundos, ganguelas, quiocos. Está representada em maior número pelos Ovimbundos.

Geografia e dados demográficos

  • Área total – 34.270 km2
  • População – 2.309.829
  • Clima – Tropical de altitude
  • Temperatura média – 19ºC
  • Língua oficial –  Português
  • Língua tradicional – Umbundu

A província do Huambo está localizado no centro sul de Angola e a capital é a cidade de Huambo, maior parte da população pertence ao grupo étnico Ovimbundo.

A sua localização central converteu esta cidade num importante centro ferroviário para a linha de Benguela, que trazia cobre desde a Republica Democrática do Congo e da Zambia até ao porto do Lobito para exportação.

A província do Huambo dispõe de 11 municípios que são os seguintes: Huambo, Londuimbale, Bailundo, Mungo, Tchindjenje, Ucuma, Ekunha, Tchicala-Tcholoanga, Catchiungo, Longonjo, Caála.

O clima desta região é tropical de altitude, com temperaturas médias de 19ºC, com duas estações: uma seca e fria e outra chuvosa, onde o calor quase não se faz sentir devido às constantes precipitações.

Está localizada à 1.700m acima do nível do mar e na altura do cacimbo, entre Maio e Agosto pode fazer muito frio, sobretudo à noite quando a temperatura pode cair até aos 4ºC.

Como Chegar

Avião

Os voos com destino a Huambo têm o ponto de partida na cidade Luanda, que é o ponto de intercessão entre as restantes províncias. Em Luanda deverá dirigir-se até ao aeroporto doméstico para aquirir as passagens da TAAG Linhas Aéreas de Angola com destino ao Huambo (Aeroporto Albano Machado).

Autocarro

Para chegar por via terrestre existem agências especializadas em realizar a mobilidade de pessoas de uma província para as outras. Temos as seguintes companhias que realizam viagens com autocarros confortáveis: Macon, AngoReal.

Comboio

Para chegar de Comboio na província do Huambo, deve-se pegar um voo no aeroporto doméstico (Luanda) com destino à Moxico ou Bié. Depois dirigir-se a estação de comboio da cidade para pegar um comboio com destino  Huambo. Existe também uma linha ferroviária que parte do Lobito passa pelo Huambo.

 

 

Onde Ficar

O Huambo é uma província de Angola que recebe inúmeras visitas de estrangeiros e nacionais, pela sua beleza e por ter um povo bastante caloroso, cheio de afeições.

Como escolha para se hospedar, existe unidades hoteleiras como escolha:

Transporte

 Rent a car – Com a empresa PPK rent a car que presta serviço dentro e fora da província.

Candongueiro – táxis privados, que levam um número elevado de passageiros, e dispõe de paragens específicas.

Motorizada cupapata – Motorizadas que deixam deixam o passageiro até ao seu destino final.

Pratos típicos e onde comer

A província dispõe de uma identidade cultural muito forte. Mas do que conhecer a província, também é necessário conhecer a sua gastronomia que é conhecida popularmente em Angola como “os quitutes da terra”.

Onde comer

Como opções para degustar dos quitutes da terra, poderá visitar os seguintes restaurantes:

  • O Pintos;
  • Restaurante Huambo;
  • Tilena restaurante;
  • Pastelaria e Restaurante Nova Lisboa.

O que fazer

É no Huambo que está a Reserva Florestal do Kavongue, com uma área de 39km, e a 20km da capital está a incontornável Albufeira do Kuando, que tem uma rara praia no planalto, devida à Barragem do Ngove, com óptimas condições para natação, pesca desportiva e navegação.

Visitar o Morro do Moco

É também nesta província, a sul de Luimbale e a cerca de 42km a sudoeste da cidade, no município de Ekunha que se localiza o Morro do Moco, o ponto mais alto de Angola, com 2.620m. O Monte Moco é uma atracção para os praticantes de rapel, voo livre e canoagem.

Praticar canoagem desportiva no rio Keve

A cerca de 90km a oeste da cidade do Huambo estão as Mupas do Cuiva, no município do Ukuma, com cataratas e águas agitadas propícias para a canoagem desportiva.

Visitar Nossa Senhora do Monte no município da Caála

Caála situa-se a 23km a oeste do município sede e é aqui que encontramos uma das primeiras igrejas reconstruídas da província, a capela de Nossa Senhora do Monte.

Adicionalmente merecem uma visita o Centro de Estudos Florais e o Centro de Estudos de Sacaála, os Paços do Concelho,o Museu Antropológico Municipal, o Museu Regional do Huambo, as Ruínas da Embala Grande e o Tumulo do Rei Ekuikui, em Bailundo.

O que trazer na mala

  • Roupas de inverno;
  • Dinheiro vivo convertido na moeda nacional (Kwanza);
  • Calçados;
  • Óculos de sol;
  • Cremes para hidratação da pele;
  • Hidratante labial;
  • Máquina fotográfica.

Dicas para gerir suas expectativas

Em todo lugar do mundo existem regras de convivência que variam muito de um lugar se comparado com outro, ou seja o que é certo em um determinado lugar pode ser errado em outro lugar. Então aqui vai algumas dicas para gerir as suas expectativas no Huambo:

  • O atendimento nas unidades hoteleiras pode não ser “Excelente” da maneira que se espera;
  • Para mergulhar em rios é necessário saber se é um rio aberto ao público, ou se será necessário pedir autorização nas autoridades locais “Soba” para fazer  mergulho;
  • Para estrangeiros, ao efectuar compra nos mercados informais deve estar acompanhado com um guia turístico para os vendedores não praticarem alteração nos preços dos produtos.
  • Os Táxis Candongueiro não deixam o passageiro até à porta de casa, existem paragens especificas;
  • Em alguns municípios não têm energia eléctrica;
  • Noutros pontos da província não há cobertura da rede móvel, aconselha-se a levar telefones por via satélite   como forma de segurança “Thuraya“;
  • Maior parte dos municípios para fazer visita é necessário carros com tração 4×4, as vias são de difícil acesso.

O que levar para casa

Como recordação à visita ao Huambo poderá levar  para casa os seguintes itens:

  • Levar as dálias, flor da qual se diz existir mais de 500 variedades na província do Huambo.
  • Levar uma foto da estátua Norton de Matos.
  • Levar disco musical do estilo tradicional olundongo.

Finalmente poderá usufruir de uma visita completa à cidade dos Sulanos.

Diga-nos, por favor, se este artigo foi útil para si nos comentários abaixo.

Bom proveito!

Directório

Descobrir  
pt_PTPortuguês